dombosco1-789x1024
São João Bosco

João Belchior Bosco nasceu em 1815, no vilarejo dos Becchi, em Castelnuovo D’Asti, na região do Piemonte. Filho de uma família de agricultores pobres, João Bosco é o terceiro filho de Francisco Bosco e Margarida Occhiena.

Aos 9 anos, João Bosco teve um sonho que mudou sua vida. Neste sonho, em meio a muitos jovens, Jesus lhe aparece e apresenta sua Mãe, Maria Santíssima. Esta revela que, no futuro, lhe será confiada a missão de estar no meio dos jovens para educá-los através do amor. É neste sonho que João Bosco descobre a sua vocação sacerdotal.

Durante toda a sua vida, sua Mãe, conhecida como “Mamãe Margarida”, que era analfabeta, mas rica de sabedoria cristã, lhe orientou e incentivou com a palavra e com o exemplo, animando-o no seu desejo de crescer virtuoso aos olhos de Deus e dos homens. Em suas orações, João Bosco sempre se recomendou aos cuidados da Divina Providência e de Maria Santíssima.

Em 1835, entrou para o seminário de Chieri e, em 5 de julho de 1951, foi Ordenado Sacerdote. Naquele mesmo ano, enquanto se preparava para celebrar a Solenidade da Imaculada Conceição, na Catedral de Turim, no dia 8 de dezembro, começou seu trabalho educativo e evangelizador após o encontro com o jovem Bartolomeu Garelli. Em 1846, estabeleceu-se definitivamente em Valdocco, bairro de Turim, onde fundou o Oratório de São Francisco de Sales. Além de ensinar o Catecismo e realizar momentos recreativos com os meninos, Dom Bosco também abriu uma escola profissional e um internato.

Dom Bosco, convencido da necessidade emergente de fundar uma Congregação de “religiosos consagrados” que dessem continuidade à sua obra, fundou a Pia Sociedade de São Francisco de Sales, em 1859, chamando os seus cooperadores de “Salesianos”. Em 1872, com a ajuda de Maria Domingas Mazzarello, expandiu sua família religiosa e fundou o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, para atender as meninas.

Exímio educador, capaz de compreender e chegar ao coração dos jovens, Dom Bosco faleceu em Turim, no dia 31 de janeiro de 1888, aos 72 anos. Em 1929, o Papa Pio XI o declarou Beato e, em 1943, o declarou Santo. Foi declarado “Pai e Mestre da Juventude” pelo Papa João Paulo II.